WEC

ARQUIVO

Aqua-RET 1 e 2 (Aquaret1: 2006-2008 e Aquaret2: 2009-2011). E-learning na área das tecnologias de energias renováveis aquáticas. Este projecto financiado pela Comissão Europeia (programa Leonardo da Vinci II) tece por objectivo produzir uma série de sessões de e-learning na área das tecnologias de energias renováveis aquáticas, de forma a informar o público em geral e estimular as empresas para as indústrias de energias renováveis aquáticas.

O projecto Aqua-RET2 pretendeu dar continuidade à disseminação e actividades de transferência de tecnologia no sector. Os objectivos principais deste projecto foram: 1) identificar as necessidades do mercado do sector de energias renováveis marinhas e negócios suplementares a um nível sectorial e geográfico 2) seleccionar, adaptar e desenvolver material existente do Aqua-RET de forma a identificar necessidades do mercado de trabalho 3) integrar o novo conteúdo inovador de formação no espaço de trabalho, desenvolvendo programas piloto de formação cujos outputs irão ser transferidos geograficamente e entre sectores, de forma a garantir que a formação seja receptiva às mudanças de necessidades do sector de trabalho 4) facilitar a transferência de competências de sectores suplementares no sector de renováveis marinhas.

ATLANTIC PC (2012-2014) O projecto “Atlantic Power Cluster” baseia-se no grupo de trabalho de Energia Marinha criado na CRPM (Comissão Arco Atlântico) e destina-se a aplicar uma estratégia transnacional de energias marinhas, assim as regiões parceiras podem encontrar complementaridades para enfrentar os desafios cruciais no desenvolvimento das energias marinhas no Espaço Atlântico.

CA-OE (financiamento do 6ºPQ da CE) (2004-2007) O Centro de Energia das Ondas participou no projecto europeu Acção Coordenada em Energia dos Oceanos como membro da comissão de gestão ao lado de vários institutos e empresas envolvidas em energia das ondas. A actividade principal do projecto consistiu na organização de seminários interactivos e intercâmbios curtos de investigadores como veículo de troca de informação especializada para o desenvolvimento de Energia das Ondas.

Coluna de Água Oscilante (CAO) Pico (2004-2006) Financiamento PRIME/DEMTEC - Renovação e Teste da Central Piloto CAO na ilha do Pico, nos Açores. O Centro de Energia das Ondas coordenou o projecto que terminou em Outubro de 2006. Os trabalhos de manutenção e monitorização continuam a decorrer na Central após a conclusão do projecto.

CORES Componentes para sistemas de energias renováveis dos oceanos (2008-2011). Projecto financiado no âmbito do 7ºPQ RTD da Comissão Europeia. O objectivo principal da CORES foi criar uma ferramenta de modelação completa para ser aplicada à tecnologia OE Buoy, desenvolvida pela empresa irlandesa Ocean Energy. No âmbito deste projecto foi construída uma “turbina impulse”, tendo sido esta última tarefa liderada pelo IST.

DEMOWFLOAT (2011-2016) O objectivo do projeto DEMOWFLOAT é demonstrar o desempenho, a longo prazo, do Windfloat, nomeadamente a sua operacionalidade, manutenção, fiabilidade, acessibilidade à plataforma, viabilidade de integração na rede numa base modular, entre vários outros aspectos, com impacto na disponibilidade do sistema e, portanto, no custo da energia produzida.

DTOCEAN (2013-2016) O projeto DTOcean visa fornecer ferramentas de desenho para os primeiros parques pré-comerciais de ondas e correntes das marés para dar apoio aos desenvolvedores dos projectos, acelerar o desenvolvimento industrial e do conhecimento destas tecnologias.

EQUIMAR (2008-2011) Métodos equitativos para ensaios e avaliação de dispositivos de extracção de energia marinha relativamente ao desempenho, custos e impacte ambiental. Projecto STREP do 7º PQ da EU.

FAME O projecto FAME (Future of the Atlantic Marine Environment) (2010-2013) é um ambicioso projecto estratégico de cooperação internacional, que tem como objectivo a ligação da protecção de valores naturais, em particuar a biodiversidade (avifauna), com as atividades económicas no Oceano Atlântico Europeu. Atlântico.

FORTISSIMO (2015-2016) O principal objectivo do projecto FORTISSIMO HPC-Sheaks é demonstrar a utilidade das ferramentas HPC para estudos de comportamento no mar recorrendo ao uso de ferramentas computacionais de última geração.

FW Turbine (2012-2014) O objectivo do projecto é investigar a operacionalidade de turbinas eólicas flutuantes (TEF) em vento e ondas e os esforços extremos induzidos na amarração e estrutura. Vão ser desenvolvidas ferramentas numéricas para calcular as respostas relacionadas. A tecnologia das turbinas eólicas (TE) em mar, fixas no fundo, já é fiável, no entanto os locais disponíveis são limitados, logo a tecnologia vai migrar para águas profundas. A mais de 50m de profundidade a melhor solução é utilizar um flutuador como estrutura de suporte para a TE. Este conceito está a dar os primeiros passos.

KIC-OTS (2010-2014) O projecto Offshore Test Station (KIC-OTS) é um projecto tecnológico focado nas necessidades do mercado, que foi criado no âmbito da KIC-Innoenergy, uma empresa financiada pelo European Institute of Technology da Comissão Europeia. O objectivo do projecto OTS é desenvolver um conjunto de projectos e serviços direccionados às necessidades actuais e futuras aos parques de energias renováveis offshore.

MARINET (2011-2015) O objectivo deste projecto é o de coordenar a investigação e desenvolvimento em todas as escalas (desde modelos pequenos a protótipos, de testes de laboratório até ensaios em alto mar) e permitir o acesso de investigadores e promotores a este tipo de instalações na Europa.

ORECCA (2009-2011). O objectivo deste projecto foi desenvolver um roadmap para actividades de investigação a curto e médio prazo no contexto das energias renováveis marítimas (ondas e eólico) de forma a alcançar uma visão e estratégia para a politica Europeia no que diz respeito ao desenvolvimento do sector das energias renováveis offshore. Pretendeu-se definir o estado da arte, descrever o quadro legal e económico e identificar barreiras, constrangimentos e necessidades. O projecto teve a duração de 18 meses, envolveu cerca de 30 instituições Europeias e foi liderado pelo Instituto Alemão Fraunhofer. Financiamento: EC FP7 - Coordination and support action.

OTEO (2011-2013). O projeto OTEO - “Observatório Tecnológico para as Energias Offshore” estabelece como estratégico o conhecimento nacional e internacional das tecnologias de aproveitamento energético “offshore” e das tecnologias de apoio, visando promover a competitividade e o empreendedorismo no setor.

RICORE (2015-2016) O objectivo do projecto RiCORE é estabelecer uma abordagem baseada na avaliação de riscos ambientais de determinada tecnologia garantindo um nível de exigência para os estudos ambientais baseado na sensibilidade do local, no perfil de risco da tecnologia e na escala do projeto a instalar.

ROADMAPPING (2010-2013). O objectivo deste projecto é trazer uma abordagem de sistemas de engenharia para o desenvolvimento de uma nova metodologia para a concepção, avaliação e adaptação de estratégias de desenvolvimento e implementação de energias renováveis. Esta nova metodologia holística combinará técnicas do domínio da engenharia, como modelação e optimização de sistemas com técnicas das ciências sociais como a técnica de Delphi e será aplicada ao caso de estudo particular da definição de uma estratégia para as energias das ondas em Portugal, que está a ser desenvolvida pela plataforma para a energia das ondas no âmbito de outro projecto.

SI OCEAN (2012-2014) Os objectivos deste projecto são envolver um grande número de stakeholders europeus para identificar soluções práticas para remover uma série de barreiras à instalação de dispositivos de energia das ondas e das marés em grande escala, e apresentar uma estratégia comum para garantir a máxima potência instalada de energia das ondas e marés em 2020.

SOWFIA (2010-2013) O projecto SOWFIA tem como objectivo de propôr medidas para a agilização e optimização do licenciamento de projectos de energia das ondas na Europa.

SURGE (2009-2013) O projecto europeu SURGE (Simple Underwater Renewable Generation of Electricity), financiado pelo 7º programa quadro, pretende testar e avaliar o protótipo de segunda geração do dispositivo Finlandês WaveRoller, ao largo de Peniche.

SYMBIOTRACKER Os cabos elétricos submarinos são parte essêncial de qualquer projecto de aproveitamento de energia offshore, transportando a energia desde os parques até á rede eléctrica onshore. As operações de localização e inspecção dos cabos submarinos têm sido identificadas como ineficientes e dispendiosas. A complexidade destas operações aumenta para profundidades acima de 40 metros, onde o recurso a mergulhadores está limitada pela curta janela temporal de mergulho. Concluindo, este tipo de operação é claramente um constrangimento, considerando os kilometros de cabo submarino existentes em qualquer parque de aproveitamento de energia offshore. Um processo automatizado deve portanto ser estabelecido de forma a executar essas operações de uma forma mais precisa e economicamente eficiente.

TROPOS (2012-2015) O objectivo central do projecto TROPOS é desenvolver um sistema modular de plataforma flutuante multi-uso para instalação em locais de águas profundas, com um foco geográfico inicial nas regiões mediterrânica, tropical e sub-tropical.

WAVEPLAM Planeamento e marketing de energia das ondas (2007-2010). Este projecto financiado pela Comissão Europeia (programa Intelligent Energy Executive Agency) teve por objectivo criar as condições necessárias para solucionar eventuais barreiras de cariz não tecnológico que possam advir aquando da presença das tecnologias das ondas em larga escala no mercado.

WAVEPORT (2010-2014) Na zona Atlântica desde Islândia a Portugal, a Europa tem um dos melhores recursos naturais de ondas no mundo com um potencial de energia estimado em cerca de 150-240 TWh por ano. A principal barreira da expansão de energia das ondas é a ausência de demonstração da tecnologia à escala comercial. Por outro lado, a eficiência dos dispositivos é limitada e necessita de ser melhorada.
O projecto WAVEPORT visa colmatar esta lacuna ao demonstrar, em larga escala, uma tecnologia de 600kW do tipo point absorber, ligada à rede. Um protótipo em escala menor foi já testado.

WAVETRAIN 1 e 2 (Wavetrain1: 2004-2008 e Wavetrain2: 2008-2012). O projecto Wavetrain1 teve financiamento do 6ºPQ. O projecto wavetrain2 é uma rede multinacional de formação inicial com financiamento do 7ºPQ – programa People, que deu continuidade ao projecto inicial e foi criada de forma a enfrentar um leque de desafios resultantes da implementação de energia das ondas à escala industrial, no futuro próximo, com foco nos aspectos técnicos, desde hidrodinâmica e concepção de sistemas de conversão de energia, a aspectos de instrumentação e armazenamento de energia e ainda redução de custos, indicados como sendo aspectos críticos de sucesso para a sua implementação.

Por outro lado, foram igualmente abordados os aspectos denominados de “barreiras” não-tecnológicas, traduzidos como dificuldades menos tangíveis relacionadas com aspectos legais (licenciamento, conflicto de usos, procedimentos de Avaliação de Impacte Ambiental, ligação à rede eléctrica, diferenças regionais) e ainda focando a insuficiente representação dos benefícios sócio-económicos do sector, ambos considerados como o maior obstáculo da rápida implementação deste sector numa escala Europeia.

WEAM Monitorização acústica da energia das ondas (2007-2010, Coordenador). Este projecto financiado pela Fundação de Ciência e Tecnologia teve como objectivo desenvolver toda uma cadeia de instrumentação adequada para avaliar o ruído submarino produzido pelos dispositivos de energia das ondas e estabelecer um plano de monitorização. As Instituições responsáveis: Centro de Energia das Ondas e o Centro de Investigação Tecnológica do Algarve.